FORÇA CHAPE!

Publicado 30/11/2016 por matrone
Categorias: Sem categoria

chapecoense-ii

 

Fiquei muito inseguro sobre se devia ou não postar algumas linhas sobre a tragédia com o time da Chapecoense. Não queria aprofundar mais a dor e acreditava que tudo que dissesse poderia ser redundante e menor do que as notícias dos grandes órgãos de imprensa.

Depois me lembrei que dos meus 36 anos de TV,trabalhei a metade deles no esporte e provavelmente foram os anos mais desafiadores que vivi profissionalmente.

O acidente com o voo da Chapecoense causou uma comoção internacional já que os maiores ídolos do futebol mundial e os órgãos de imprensa mais conceituados do planeta se manifestaram com pesar sobre o acidente.

Quando eu comecei a trabalhar em TV, o jornalismo esportivo era mais uma das áreas de atuação dos profissionais de imprensa. Hoje é a elite da TV, do Rádio, da Internet e da mídia impressa.

O esporte é espetáculo, e o espetáculo alimenta as grades de programação e fornece conteúdo para as mídias digitais. Porém, quem são os astros desse espetáculo? Claro, são os atletas que fazendo os gols, as cestas, quebrando os recordes e alimentando os sonhos dos torcedores, são responsáveis pela magia dos resultados do trabalho da imprensa.

Ontem, perdemos muitos colegas! Jogadores, comissão técnica, jornalistas e a tripulação que levava o time da Chapecoense para a conquista de um sonho: A Copa Mercosul!

Desejo de todo o coração que o futebol se recupere dessa dor e que a torcida da Chape possa em breve gritar novamente gol que será comemorado com dor no coração, mas com a certeza de que o time não desapareceu, ele apenas mudou de plano e esta num lugar muito bacana, se preparando para uma disputa ainda mais linda.

Sou Palmeirense, e a Chape realizou seu ultimo jogo na nossa arena, mostrando um futebol aguerrido com muita força. Que bom que tivemos o prazer de tê-los conosco nesse ultimo espetáculo.

Força Chape!

 

 

 

Anúncios

A TV x YouTube

Publicado 01/11/2016 por matrone
Categorias: Sem categoria

roda-viva

 

Ontem após o programa especial comemorativo dos 30 anos do Roda Viva, entrei num debate com alguns amigos após reclamar, no nosso grupo do WhatsApp, que a bancada, formada para entrevistar o filosofo Luiz Felipe Ponde Pondé e o historiador Leandro Karnal, amarelou.

Ponderei que não possuíam conteúdo intelectual para tamanha responsabilidade e ouvi dos meus amigos que os jovens ali não eram intelectuais e sim youtubers com milhões de seguidores.Uau! A audiência desses jovens é maior do que a das grandes redes de TV.

Mas como isso acontece? Por que tanta gente segue esses youtubers?  Qual a magia em ouvir as suas opiniões sobre tudo e sobre nada? O que um jovem de 20 anos pode propagar nas redes?

Confesso não saber essas respostas e também ser um pouco cético sobre a matéria, mas alguma coisa fantástica deve acontecer. As redes sociais propiciaram que qualquer cidadão do planeta terra pudesse emitir a sua opinião sobre qualquer assunto. Já não existe a barreira entre os que possuem o poder da informação e aqueles cidadãos comuns que querem manifestar a sua opinião, inclusive eu. Num passado recente buscávamos conhecer as manifestações culturais e intelectuais de gente que detinha o poder da informação sem dar valor a opinião do vizinho que estava do nosso lado. Hoje isso mudou. O garoto que mora do outro lado da rua pode ser responsável por um blog com milhões de seguidores que querem saber o que ele pensa sobre os problemas do cotidiano. A TV é mídia e o YouTube é plataforma. A diferença entre ambos é que a TV possui endereço, CGC, linha editorial, dono, comprometimento político, etc. O YouTube pode ser gerado de dentro de um quarto, sem identidade, sem comprometimentos políticos, etc.

O que isso quer dizer? Quer dizer que no Youtube, os demais redes sociais, não existe a interferência do poder constituído pelos grandes latifúndios da mídia. As redes sociais são a terra prometida da comunicação. Isso porem não significa que a TV seja ruim, pelo contrario. A TV utiliza o YouTube como plataforma. No YouTube é possível fazer TV, cinema, vídeo e outras manifestações pictóricas eletrônicas.

A linguagem dos meios originalmente analógicos levadas às mídias digitais continua interferindo no conteúdo produzido.

Nas redes há espaço para tudo. Sou um profissional de Televisão e, confesso, tenho muito a apreender ainda. Comecei na TV analógica no início dos anos 80. Ainda há muito para descobrir nesse tsunami de informação. Viva a Televisão…e viva o YouTube!

 

 

GANHOU, MAS NÃO LEVOU!

Publicado 21/12/2015 por matrone
Categorias: Televisão

MISSSe o fato tivesse ocorrido no Brasil diriam que somos subdesenvolvidos, país de terceiro mundo e que não inspiramos confiança. Mas não, o erro ocorreu na televisão americana ao vivo para um bilhão de pessoas.

Costumo assistir a eventos dessa magnitude sempre que posso e confesso  que para um programa de domingo a noite o concurso miss universo estava bem colocado. Como todos eu também tinha as minhas candidatas e a brasileira não estava entre elas. Mexico, Colombia, França, EUA e Filipinas eram as minhas favoritas.

Tudo estava indo muito bem até que restaram apenas três candidatas: EUA, Colombia e Filipinas. Ao ser a primeira desclassificada a miss USA fechou o sorriso que era o seu pontos alto e arrancou as flores das mãos do garoto que as segurava. A partir daí só expectativa. O título iria para a Colombia ou para as Filipinas?

Foi quando o apresentador, o comediante nada engraçado Steve Harvey anunciou o nome da vencedora. A Miss Universo, na semana do lançamento de Star Wars, seria a colombiana Ariadna Gutiérrez. A moça foi coroada pela sua própria prima, a Miss Universo 2014, recebeu a faixa e fez o chauzinho característico das misses com a mão direita sem antes deixar de limpar uma lagrima que escorria pela sua face. Festa na Colombia! Fogos de artifício, buzinasso…Afinal apenas a Venezuela havia emplacado dois concursos seguidos e agora a vez era da Colombia.

A miss Filipinas ganhou um buque de consolação e foi se juntar à miss EUA.

Foi quando eu vi o apresentador entrar com cara de perdido. Com muitos anos de experiência em transmissões ao vivo senti que havia algo errado e pulei do sofá. O humorista nada engraçado havia cometido um engano. Ele deu a vitória para a miss errada. Na verdade a Miss Universo era a Filipina Pia Wurtzbach. O mestre de cerimonias assumiu o erro em rede mundial e deixou o palco. A FOX que estava transmitindo o evento sem saber o que fazer cortou o sinal e assim não pudemos ver os primeiros minutos de reinado da nova Miss Universo. Fiquei a noite toda pensando como aquele erro poderia ter acontecido. Fiquei pensando no meu colega que estava dirigindo a transmissão. Fiquei pensando no que eu teria feito se estivesse no seu lugar. Provavelmente teria me atracado com o apresentador e corrido atrás dele até Nova Iorque.

Existe protocolos para transmissões desse calibre. O erro é inadmissível. A informação teve que ser enviada ao control room antes para a preparação dos efeitos visuais e geradores de caracteres. Alguém pisou na bola feio e não foi só o apresentador.

Bom, isso é TV ao vivo! Isso pode acontecer aqui, em Las Vegas, Toronto,  Paris, sei la onde.

O certo é que os organizadores do concurso devem se preparar para pagar a indenização milionária a que a miss Colombia tem direito.

Ela ganhou, não levou e ficou rica!!!!!

 

 

AI QUE VERGONHA DO ALMEDINHA!

Publicado 13/06/2014 por matrone
Categorias: Televisão

copa 2014

Alguém conhece essa piada? O marido traído que espia pelo guarda-roupa a sua mulher num ato de traição com seu amigo Almedinha. A mulher tira tudo: Prótese dentaria, enchimento dos seios e das nádegas, cinta para segurar a barriga, meia para aliviar a celulite, etc. O marido leva a mão a face e diz: Ai que vergonha do Almedinha!

Foi isso que senti ontem quando vi a cerimônia (se é que se pode chamar aquilo de cerimônia) de abertura da Copa do Mundo. Vergonha alheia! Nunca vi nada pior. Tenho certeza de que qualquer Escola de Samba do interior de São Paulo faria um espetáculo melhor. Figurinos horrorosos provavelmente comprados na rua 25 de março, alegorias da pior qualidade, falta de ensaio da coreografia, um plástico amarelo cobrindo o campo que lembrava aquelas proteções que os pedreiros colocam no chão da sua casa quando fazem uma reforma.

Gente, o que era aquilo? Bilhões de pessoas assistindo pela TV e pela Internet aquela bobagem! Até os nossos índios foram mal retratados dentro de uma canoa suspensa no ar.

600 figurantes! Apenas 600 figurantes num campo de futebol. Dizem que a direção foi de uma coreógrafa Belga contratada pela FIFA. Um país que possui os melhores produtores e diretores de espetáculos populares como o Brasil precisava ser submetido a uma coreógrafa Belga? Qualquer carnavalesco paulista ou carioca teria criado um espetáculo digno.

Perdemos uma grande chance de conversar com o mundo. Falar do Brasil, das nossas lendas, das nossas crendices, da nossa miscigenação, da nossa história.

De quebra a direção de imagens da FIFA (sim, eles fazem a transmissão dos jogos) perdeu o momento em que o cidadão brasileiro Juliano Pinto que é paraplégico conseguiu através do uso de um exoesqueleto dar um ponta pé “inicial” na partida. Eles mostram apenas alguns poucos segundos.

Foram infelizes os organizadores desse espetáculo.

Na minha humilde opinião faltou uma coisa básica. Faltou roteiro! Podíamos ver pelos cortes de câmera que não havia roteiro. Cortavam de uma câmera para outra sem uma sequencia ou lógica. Todo espetáculo possui uma maneira de ser mostrado. Existe uma história e as câmeras mostram “as paginas dessa história”.

Não bastasse a vergonha da cerimônia de abertura ainda teve a horrível performance da Claudia Leite, Jennifer Lopez e Pitbull. Uma pobreza sem precedentes. A Jennifer Lopes que havia declarado no seu FB que não viria a abertura por discordar de alguns pontos da produção, deve ter se arrependido amargamente de ter voltado atrás.

No final, o telão em forma de bola não conseguia fechar os seus “gomos” e ficou num agonizante vai e volta.

Agora vamos torcer pela cerimônia de encerramento e pela abertura das Olimpíadas.

Vai lá Brasil! Mostra a tua cara!!!!

 

HOUSE OF CARDS

Publicado 14/05/2014 por matrone
Categorias: Televisão

 

Imagem

Após ouvir excelentes comentários sobre a série, resolvemos  assistir “House of Cards”  produzida pela Netflix .

Qual não foi a minha  surpresa ao constatar de que era algo realmente novo na tela.

A história é completamente viciante. Acompanhar os bastidores do poder dos EUA é hipnotizante.  Kevin Spacey esta fantástico no papel do congressista articulador que pretende tomar assento na cadeira mais poderosa do planeta.

Mas o que eu classifico como algo novo em TV, ou que pode ser visto na sua smartv,  é a estrutura da trama. Não se trata de algo simples destinado a consumo. O roteiro é rico em detalhes e muito bem amarrado.

O telespectador é conduzido a uma posição de voyeur que recebe a atenção do congressista Francis Underwood, personagem de Spacey.

Underwood  ministra verdadeiras aulas de poder nos seus comentários maquiavélicos destinados ao público da série.

Edição, cenografia e montagem impecáveis dão a “House of Cards” o status de uma das melhores séries produzidas.

O interessante é ver o meticuloso trabalho na escalação do elenco.  A excelente escolha de Robin Wright para o papel de Claire, esposa de Francis, é um dos tons forte da direção de elenco. Claire desempenha um papel fundamental na trama dando todo o suporte aos planos do marido, alem de possuir um relacionamento conjugal extremamente perturbador aos olhos dos mais conservadores.

Devoramos,  Marcia e eu, as duas primeiras temporadas em prazo recorde e agora aguardamos como todos os outros fãs da série, a terceira temporada prometida para inicio de 2015.

Alias, fato curioso é que a serie foi criada para ter duas temporadas apenas, mas devido ao seu sucesso terá uma continuação.

Volta a ativa

Publicado 11/12/2013 por matrone
Categorias: Televisão

Amigos,

Em breve voltaremos a ativa com o Blog do Matrone

Aguardem!

Um abraço

 

HEBE: A MADRINHA DA TV BRASILEIRA

Publicado 01/10/2012 por matrone
Categorias: Televisão

É difícil para um autor de um blog sobre TV escrever sobre uma perda de dimensões tão intensas como a morte de Hebe Camargo.

O que dizer sobre ela?  Dizer que ela foi à figura mais popular e de maior carisma da televisão já foi dito. Dizer que sem ela a já pobre TV brasileira vai ficar ainda mais pobre? Dizer que vai fazer falta a coragem, o desprendimento e a simpatia dessa apresentadora que há 60 anos entrava nas nossas casas semanalmente? Tudo isso seria repetir o que a mídia publicou nesses dois últimos dias.

A Hebe possuía uma relação familiar com o seu publico. Eu a vi e a ouvi muito mais do que a muitos parentes próximos. Sabia, como qualquer brasileiro, reconhecer o tom da sua voz e, claro, a sua gargalhada característica. A Hebe pertencia a uma época de grandes apresentadores de televisão. Tinha elegância, bom português, boa educação, enfim, era uma dama da televisão.

Não tenho certeza, mas acredito que deve ter sido uma das apresentadoras mais longevas da TV mundial. Sessenta anos a frente de um programa de TV não é para qualquer um. É um recorde. Ela foi apresentadora de pelo menos três gerações de telespectadores brasileiros. Uma das lembranças mais remotas da minha infância é estar sentado no assoalho perfeitamente encerado da sala de casa olhando para a TV e vendo a Hebe apresentar o seu programa de domingo da TV Record. Isso aconteceu nos anos sessenta. Depois disso olhei para diversas TVs na história da minha vida e continuei vendo a Hebe, ali elegante, vibrante e com um astral que fazia o publico dormir melhor após ficar com ela por algumas horas.

Voltando ao seu programa na Record, naquela época a emissora representava para a televisão muito mais do que a Globo representa hoje. Os melhores programas, os artistas mais famosos, os festivais, enfim tudo de melhor estava na Record, e a nossa estrela brilhava solene no papel de apresentadora e muitas vezes de humorista ao lado de Ronald de Golias e Nair Bello.   

Sua trajetória profissional incluiu ainda passagens pela TV Bandeirantes, SBT e Rede TV. A sua estréia na RedeTV foi num programa que eu dirigia. Ela chegou de helicóptero e foi recebida por todos os funcionários da emissora. Tudo isso ao vivo em rede nacional, com muito charme e elegância. Do jeito que ela gostava.

Pena que não tivemos tempo de nos despedir dela.

Me conforto em pensar que ela não nos deixou, apenas mudou de endereço. Ela vive agora nos nossos corações.